Ligue: (41) 99122-3071

Servidores do sistema penal realizam capacitação na área de saúde prisional por videoconferência

Nesta segunda-feira (19), mais de 100 servidores de todo o estado que atuam na área prisional, realizaram uma capacitação por videoconferência na área da saúde, sobre estratégias para busca ativa e investigação periódica sobre a Tuberculose, em pessoas privadas de liberdade.

Realizada por meio de uma grande parceria entre instituições públicas, a capacitação foi ofertada para as equipes que atuam na área de saúde em todas as unidades penais do Departamento de Execução Penal do Paraná (Depen), servidores do Departamento de Atendimento Socioeducativo (DEASE), da Secretaria de Estado da Justiça, servidores da Polícia Civil lotados em Delegacias, além de servidores municipais e estaduais das secretarias de saúde.

Segundo o diretor da Escola de Serviços Penais do Depen (ESPEN), Edevaldo Miguel Costacurta, a incidência de Tuberculose no sistema prisional, em alguns estados, chega a ser 35 vezes superior a população em geral. "Nessa situação devemos empreender um esforço coletivo, ora na formação dos servidores da saúde e área técnica dos estabelecimentos penais, ora na implementação de um planejamento estratégico para a saúde prisional", afirma.

A médica responsável pelo programa de controle da tuberculose da Secretaria Estadual da Saúde, Betina Mendez Alcântara Gabardo, que também foi uma das instrutoras da Videoconferência, reforçou a importância de se discutir o tema. "Existe uma necessidade emergente de sensibilizar os profissionais de saúde e demais integrantes das equipe técnicas das unidades penais, unidades de saúde e delegacias sobre a importância da busca ativa e detecção precoce de casos de tuberculose em pessoas privadas de liberdade", ressalta.

Participaram também da videoconferência a enfermeira, Lillian Zanchettin, da Vigilância Epidemiológica e a Bioquímica, Sheila Flora, responsável pela Divisão de Medicamentos e pelo laboratório de Análises Clínicas do Complexo Médico Penal. Ambas reforçaram a necessidade de se estabelecer uma rotina de fluxo de ações e atividades entre os programas de Tuberculose das esferas estaduais e municipais, além de sensibilizar as pessoas privadas de liberdade e demais integrantes da comunidade carcerária, para a detecção precoce dos sintomáticos respiratórios.

PARCERIAS - A capacitação por videoconferência é resultado de uma grande articulação entre instituições públicas. São parceiros neste projeto: a Coordenação Nacional de Saúde no Sistema Prisional do Ministério da Saúde; Coordenação de Apoio à Assistência Jurídica, Social e à Saúde do Departamento Penitenciário Nacional; Coordenação Estadual do Controle de Tuberculose no Paraná, da Divisão de DST/Aids/Hepatites Virais/Sífilis/Tuberculose; Departamento de Atenção às Condições Crônica, área técnica das Populações Vulneráveis; LACEN- Fronteira; Assessoria da Polícia Civil e Delegacias de Polícia do Paraná; Assessoria de Projetos e Convênios do Depen e Escola de Serviços Penais do Paraná.

Fonte: Departamento de Execução Penal - DEPEN